fbpx

Saiba como acabar com pelos encravados e conheça 7 truques para evitá-los

Saiba como acabar com pelos encravados e conheça 7 truques para evitá-los

Algumas mudanças na sua rotina diária de cuidados com a pele irão ajudar a evitar manchas, inflamações e outros problemas desconfortáveis causados por pelos encravados.

 

Só quem já teve que passar pela situação desconfortável de conviver com um pelo encravado sabe como isso dói! Pessoas que fazem depilação com frequência costumam enfrentar problemas com pelos encravados. É um problema desenvolvido pelo próprio fio que, por diversos fatores, têm dificuldades para romper a camada mais superficial da pele, se curvando para dentro do folículo.

Uma vez que o pelo fica “preso” no folículo, o corpo reconhece como algo estranho que acaba gerando uma reação inflamatória semelhante às espinhas, que irão provocar coceira, dor e até mesmo formar pus.

Quando a depilação é feita de maneira errada, os poros ao redor do pelo ficam abertos, de modo que tornam a entrada perfeita para a proliferação de bactérias, de modo que a situação se agrava para um quadro de foliculite.

 

Em alguns casos, o pelo encravado pode se regenerar sozinho, mas na grande maioria das vezes é necessário fazer o uso de medicações, como pomadas a base de corticóide, antibiótico e antifúngico. Entretanto, uma boa estratégia para se livrar desse problema de vez é aderir à depilação com luz pulsada, também conhecida como fotodepilação.

A fotodepilação é ótima para quem deseja ficar livre dos problemas causados por pelos encravados e foliculite, pois o equipamento elimina o pelo diretamente na raiz, fazendo com que ele cresça cada vez mais lentamente e mais fino, e eventualmente deixe de ser uma preocupação. Além disso, a depilação com luz pulsada ajuda a eliminar de uma vez esses problemas, pois se o pelo para de crescer, não existe foliculite!

Áreas do corpo como o pescoço, virilha e axilas normalmente possuem muitas dobras, de modo que são mais suscetíveis à atritos na hora da depilação com lâmina, que é considerada uma das principais causas dos pelos encravados, assim como a baixa imunidade, alterações hormonais e o uso de roupas muito apertadas.

 

MAS ATENÇÃO!

 

Não são apenas fatores externos que se envolvem no desenvolvimento desses problemas! Qualquer parte do corpo envolve o crescimento de pelos e está vulnerável, principalmente as regiões que tendem a ficar mais aquecidas. O calor, além de tornar o ambiente propício para a umidade, estimula a inflamação dos poros, a oleosidade e a transpiração excessiva, de modo que obstrui os folículos e dificulta a saída do pelo.

Se você tem pelos encravados, isso não quer dizer, necessariamente, que você precisa de ajuda de um profissional para serem combatidos, porque o corpo humano dá conta de se livrar da inflamação sozinho. Contudo, é necessário a manutenção e assepsia do local, além da redução dos atritos e do superaquecimento da pele, de modo que não se deve passar a lâmina ou cera quente enquanto a pele estiver apresentando o problema.

Pensando em ajudar você a resolver esse pequeno problema (que pode se tornar bem grande e bem incômodo), nós separamos um pequeno guia com dicas simples, que vão resolver os seus problemas antes de se tornarem algo sério!

 

Dica #1 – Esfoliação

 

Seja qual for o esfoliante que você escolher – sabonete, luva, bucha vegetal, etc. – todos têm a mesma função, que no caso é eliminar as células mortas e as sujeiras, liberando espaço para que o pelo cresça livremente. Independente do método escolhido, é importante lembrar que não se deve esfregar demais a região, para evitar que a pele fique ainda mais prejudicada.

Normalmente açúcar com mel, farinha de arroz com leite e fubá com azeite são algumas das receitinhas caseiras que eu uso para esfoliar a pele e mantê-la hidratada, aplicando-as de 2 a 3 vezes por semana.

 

Dica #2 – Mantenha a pele limpa e hidratada

 

A limpeza com sabonetes antissépticos é uma boa dica para quem deseja se livrar dos pelos encravados, pois com ele é possível remover o excesso de resíduos que se acumulam nos poros, além de suavizar a oleosidade. É importante lembrar que esse processo é fundamental antes de se depilar ou barbear.

Caso você entre em contato com a água de lugares de uso coletivo, como piscinas, mares, banheiras e jacuzzis, lavem bem o seu corpo com sabonete neutro ou anti bactericida. Mas lembre-se que tudo nessa vida é feito de equilíbrio, pois o uso exagerado desses sabonetes especiais aumenta a produção de óleos, além de eliminar as bactérias essenciais para a manutenção da saúde da pele.

Outra dica fundamental é: jamais esqueça o hidratante, não somente quando aparecer pelos encravados, mas diariamente, para evitar que o problema se torne ainda maior.

 

Dica #3 – Compressa gelada para acalmar

 

Quando a depilação com lâmina ou com cera é feita, a pele sofre o rompimento dos vasos sanguíneos ligados aos folículos, o que é determinante para estimular a inflamação.

Para amenizar o quadro, você pode aplicar uma compressa gelada sobre as áreas lesionadas, de modo que vai diminuir a dilatação dos vasos e a abertura dos poros.

 

Dica #4 – Evite roupas justas e grossas

 

Tecidos grossos e sintéticos dificultam a transpiração e agridem a região depilada. Além disso, ficar com roupas molhadas por muito tempo também é uma prática que contribui para a formação de foliculite e pelos encravados. Após a depilação, o ideal é usar saias e calças bem largas, para permitir que a pele respire.

 

Dica #5 – Pense muito bem antes de escolher um método para se depilar

 

A depilação com lâminas provoca micro lesões na pele, que servem como porta de entrada para bactérias que levarão à inflamação. Se você optar pelas lâminas, tenha preferência por um barbeador novo e bem afiado, porque assim você evita infecções e corta o fio de uma só vez, eliminando a necessidade de repetir o atrito.

Já a depilação com cera alargam os folículos, fazendo com que eles se tornem passíveis ao acúmulo de bactérias. Outra desvantagem em relação a fotodepilação é a agressão à pele, feita por meio do movimento de puxar a cera, que leva o sangue à superfície. Além disso, ao entrar em contato com o Sol, o ferro presente nos glóbulos do sangue oxidam, deixando a pele da região depilada escura.

 

Dica #6 – Pomadas anti-inflamatórias

 

Se o quadro se agravar muito, você pode aplicar pomadas para espinha ou antibióticas que irão ajudar a desinflamar a região, evitando a proliferação de bactérias e eventuais manchas ou cicatrizes. Produtos com nutrientes como a ureia, ácido salicílico, peróxido de benzoíla, ácido glicólico e ácido retinóico são capazes de acelerar ainda mais o combate aos pelos encravados.

MAS ATENÇÃO: Assim como qualquer outro medicamento, é necessário consultar um especialista no assunto antes de optar por um tratamento.

 

Dica #7 – Adstringente com talco para manter a pele livre de umidade

 

Antes de fazer a depilação, é necessário realizar a assepsia do local, bem como a esfoliação. Após isso, aplique uma camada de loção adstringente e, quando secar, outra de talco.

O pó do talco, que também pode ser substituído por amido de milho, é capaz de reduzir a umidade do pelo, facilitando a aderência da cera ou da lâmina, de modo que irá diminuir os atritos ao se depilar ou se barbear.

Todas essas 7 dicas são fundamentais para não estragar o seu visual. Mas para evitar que isso aconteça, o ideal é realizar o tratamento de fotodepilação, pois se você elimina o pelo na raíz, logo você não precisará mais se preocupar com pelos encravados e foliculite.

 

Agende a sua consulta com um de nossos especialistas agora mesmo, através do WhatsApp da nossa clínica, clicando no botão logo abaixo:

Sem comentários ainda.

Escrever um comentário